Categoria Artigos

META SMART – ENTENDA O QUE É E SAIBA COMO IMPLEMENTAR

“Não se deve ir atrás de objetivos fáceis, é preciso buscar o que só pode ser alcançado por meio dos maiores esforços.”
– Albert Einstein

A base para o sucesso de um bom planejamento empresarial é, sem dúvidas, a definição de objetivos.

Esses objetivos, por sua vez, devem seguir uma série de critérios para que sejam cumpridos de forma adequada, possibilitando assim, uma boa eficiência operacional. Metas e objetivos quando bem estruturados permitem que processos internos e externos tornem-se mais assertivos e que cenários sejam mais facilmente antecipados, como consequência temos operações mais produtivas.

Neste artigo, vou abordar sobre a META SMART, minha ferramenta predileta na sistematização e demarcação de objetivos.

O QUE É O MÉTODO SMART?

Criada originalmente por Peter Druker, o método SMART é uma ferramenta que auxilia na hora da definição e construção de metas, sejam elas profissionais ou pessoais. A palavra SMART é um acrônimo para as palavras Specific, Measurable, Achieavable, Relevant e Time-based.

Cada uma das palavras representa uma etapa da técnica e todas são indispensáveis para o êxito da estratégia. Na sequência, abordarei sobre cada uma dessas fases e como devem ser aplicadas na execução dos seus projetos.

S – SPECIFIC (ESPECÍFICA)
O primeiro ponto importante da SMART é que os objetivos demarcados devem ser específicos, ou seja: eles devem ser claros e não podem permitir qualquer tipo de dupla interpretação. O ideal é que seu objetivo seja minunciosamente detalhado. Dessa maneira, as chances de sucesso tornam-se maiores.

Nessa fase, devem ser esclarecidos alguns pontos importantes:
• Qual o motivo desse objetivo;
• Quem são as pessoas envolvidas;
• Quais são as restrições desse objetivo;
• Quais são os pontos básicos para que ele possa ser colocado em prática;

Para que o seu objetivo seja realmente específico, você deve seguir um raciocínio bastante detalhado. Em vez de estipular uma meta genérica como aumentar o faturamento em 20%, você deve estipular um plano mais ou menos assim: alavancar em 20% as vendas na região Sul, nos nichos X, Y e Z, envolvendo a equipe A e B, durante o segundo semestre de 2017, mantendo a margem de lucro mínima de X% .

M — MEASURABLE (MENSURÁVEL)
O que não pode ser medido não pode ser gerenciado, já diziam Robert Kaplan e David Norton, autores da metodologia BSC Balanced Scorecard, uma metodologia que revolucionou o modelo de gestão estratégica. Desta forma, no segundo passo do método SMART, a regra é clara: todo objetivo poder ser traduzido em números. Por isso, no momento da definição do seu objetivo, analise se o mesmo poderá ser, sistematicamente, interpretado e manipulado numericamente.

Um exemplo de indicador ou meta SMART pode ser manter o nível de satisfação dos clientes acima dos 80% ou expandir a carteira de clientes em 15% nos próximos 90 dias.

A — ATTAINABLE (ATINGÍVEL)
O terceiro pré-requisito do método SMART é também um dos principais pontos na construção das metas, é nesse ponto onde a maioria dos gestores acabam cometendo erros que comprometem todo o resultado. O terceiro passo é o de que os objetivos sejam atingíveis, realizáveis. Suas metas devem seguir uma razoabilidade mínima para que não pareçam ideais irrealizáveis e distantes (o que gera, automaticamente, desmotivação para equipe). Mas, isso não significa que seus objetivos não possam ser audaciosos e ambiciosos. Precisa ser desafiador, mas possível de ser atingido para que isso gere uma motivação aos envolvidos.

Um detalhe que vale ser lembrado, é que o A, de Attainable, também é referenciado como a inicial de “Agreed Upon” — realizado em comum acordo. Desta forma, é preciso lembrar que todo objetivo deve representar um consenso entre todos os envolvidos (e que todos estejam cientes das exigências e benefícios decorrentes dele).

R — RELEVANT (RELEVANTE)
Uma meta sem relevância, sem uma conexão verdadeira com um propósito, não vai gerar engajamento e dificilmente vai ser atingida de maneira consistente.
Por mais óbvio que possa parecer numa primeira observação, um objetivo SMART deve ser relevante para a sua realidade.

No momento de avaliar se sua meta é relevante, você deve verificar elementos como: consonância do objetivo com os ideais e valores defendidos pela empresa, real disposição da equipe para se engajar no projeto.
Procure traçar metas que levem ao sentimento de realização. A sensação de uma meta cumprida para todo e qualquer preço pelo caminho percorrido.

T — TIMED (TEMPORAL)
A fase final dos indicadores e metas SMART refere-se a temporização do objetivo, ou seja, na definição de um prazo para a realização e cumprimento dele. Ao estipular metas temporais para seus objetivos, você cria um senso de urgência indispensável para o sucesso de um projeto, evitando procrastinação e desorganização operacional. Portanto, sempre estabeleça prazos definidos para seus projetos e procure seguir à risca as estipulações pré-acordadas.

O método SMART é uma ferramenta que quando aplicada de maneira consistente traz resultados surpreendentes para empresas dos mais variados ramos. Aplique em seu negócio você também os indicadores e metas SMART e garanta melhores resultados.

Forte abraço e bons negócios!!

 

CRISE DA PREVIDÊNCIA – UM RETRATO QUE JÁ ESTAVA PREVISTO

Assunto cada vez mais debatido nos últimos meses, a situação do sistema previdenciário brasileiro está movimentando as propostas de reforma nas regras para aposentadoria. Percebe-se uma grande urgência em resolver essa questão, mas tudo isso poderia e deveria ser previsto ao longo dos anos.

Se olharmos um pouco para trás, no início dos anos 60, a expectativa de vida do brasileiro ao nascer era de apenas 54 anos, e os casais tinham em média seis filhos. Uma taxa de natalidade bastante alta apara uma expectativa de vida muito baixa.

Esse movimento fazia com o que o pais formasse uma pirâmide demográfica com uma base bastante larga e um teto estreito.

Com o passar os anos uma série de melhorias na saúde pública foram realizadas, planejamento familiar, nossas características nas famílias, onde segundo dados do IBGE em 2014, a taxa de natalidade no Brasil estava em 1,79 filhos por casal (bem diferente dos 6 dos anos sessenta), e ao mesmo tempo a expectativa de vida aumentou para 74 anos.

A matemática é simples, essa inversão na taxa de natalidade e aumento da expectativa de vida está transformando o Brasil em um país com pessoas com idade mais avançada, a pirâmide demográfica brasileira se tornou mais densa em faixa etárias maiores e em 2060 deverá ter uma base mais estreita ainda e um teto mais largo.

A Previdência Pública no Brasil funciona da seguinte forma: o trabalhador em atividade hoje contribui como principal fonte de receita do INSS (seja individual ou por empresas), pagando os benefícios daqueles que já se aposentaram. Voltamos para a matemática simples, quanto mais novos contribuintes mais receita para o INSS para os atuais aposentados, quando isso se inverte, temos mais pessoas solicitando seus benefícios do que pessoas contribuindo para o INSS.

 

O RETRADO JÁ ESTÁ PREVISTO: cada vez mais gente se aposentando para menos gente contribuindo.

A ATUAL SITUAÇÃO DA PREVIDÊNCIA PÚBLICA

As pessoas não tem o hábito de pensar e planejar o futuro, pensar em 20, 30, 40 anos pode parecer algo distante demais, mas toda mudança que já estão acontecendo e já aconteceram na pirâmide demográfica no Brasil, já estão produzindo impacto na previdência pública hoje. Entre 2015 e 2016 o INSS teve uma arrecadação de R$355 bilhões para um pagamento total de benefícios de R$467 bilhões, ou seja, um prejuízo de R$113 bilhões no período, e a tendência é que o prejuízo só aumente. Sendo repetitivo, mas a matemática é simples, essa conta não fecha.

Independente do governo em questão, essa conta precisa ser fechada em algum momento, e para fechar esse rombo, existem algumas alternativas e vou citar as três que mais foram comentadas: Aumentar impostos, cortar benefícios ou alterar regras da aposentadoria.

A primeira opção é impraticável tendo em vista a alta carga tributária que já incide sobre o trabalhador.

A segunda opção, muito conhecida após ocorrido na Grécia, é bastante complicada tendo em vista que precisaria abater benefícios já concedidos.

A última opção, entre as apresentadas seria a mais prática e menos custosa. Mas por se tratar de uma medida nada popular, acaba sendo postergada pelos governantes como uma brincadeira de “batata quente”, onde hoje chegamos numa situação critica e insustentável.

Alterar a idade mínima para 65 anos parece ser a mudança que será proposta nesse momento, inclusive por já ser uma idade mínima aplicada em vários países, principalmente na Europa.

O ERRO É PENSAR NA APOSENTADORIA SOMENTE QUANDO CHEGA NA HORA DE SE APOSENTAR.

A melhor forma de ter um futuro melhor, é cria-lo. E a melhor forma de não depender de uma previdência pública é se planejando da maneira correta.

São inúmeras as opções de investimentos para longo prazo que podem contribuir para renda complementar.

O mais importante é começar a pensar hoje de que forma você pode planejar sua aposentadoria. Quanto antes iniciar, mais barato vai ficar.

Se você quer saber uma forma de garantir o seu futuro sem fortes preocupações, clicando na figura abaixo você irá fazer DOWNLOAD do infográfico que contém CINCO OPÇÕES PARA VOCÊ GARANTIR SUA APOSENTADORIA SEM DEPENDER DO INSS.

Forte abraço!