CRISE DA PREVIDÊNCIA – UM RETRATO QUE JÁ ESTAVA PREVISTO

CRISE DA PREVIDÊNCIA – UM RETRATO QUE JÁ ESTAVA PREVISTO

Assunto cada vez mais debatido nos últimos meses, a situação do sistema previdenciário brasileiro está movimentando as propostas de reforma nas regras para aposentadoria. Percebe-se uma grande urgência em resolver essa questão, mas tudo isso poderia e deveria ser previsto ao longo dos anos.

Se olharmos um pouco para trás, no início dos anos 60, a expectativa de vida do brasileiro ao nascer era de apenas 54 anos, e os casais tinham em média seis filhos. Uma taxa de natalidade bastante alta apara uma expectativa de vida muito baixa.

Esse movimento fazia com o que o pais formasse uma pirâmide demográfica com uma base bastante larga e um teto estreito.

Com o passar os anos uma série de melhorias na saúde pública foram realizadas, planejamento familiar, nossas características nas famílias, onde segundo dados do IBGE em 2014, a taxa de natalidade no Brasil estava em 1,79 filhos por casal (bem diferente dos 6 dos anos sessenta), e ao mesmo tempo a expectativa de vida aumentou para 74 anos.

A matemática é simples, essa inversão na taxa de natalidade e aumento da expectativa de vida está transformando o Brasil em um país com pessoas com idade mais avançada, a pirâmide demográfica brasileira se tornou mais densa em faixa etárias maiores e em 2060 deverá ter uma base mais estreita ainda e um teto mais largo.

A Previdência Pública no Brasil funciona da seguinte forma: o trabalhador em atividade hoje contribui como principal fonte de receita do INSS (seja individual ou por empresas), pagando os benefícios daqueles que já se aposentaram. Voltamos para a matemática simples, quanto mais novos contribuintes mais receita para o INSS para os atuais aposentados, quando isso se inverte, temos mais pessoas solicitando seus benefícios do que pessoas contribuindo para o INSS.

 

O RETRADO JÁ ESTÁ PREVISTO: cada vez mais gente se aposentando para menos gente contribuindo.

A ATUAL SITUAÇÃO DA PREVIDÊNCIA PÚBLICA

As pessoas não tem o hábito de pensar e planejar o futuro, pensar em 20, 30, 40 anos pode parecer algo distante demais, mas toda mudança que já estão acontecendo e já aconteceram na pirâmide demográfica no Brasil, já estão produzindo impacto na previdência pública hoje. Entre 2015 e 2016 o INSS teve uma arrecadação de R$355 bilhões para um pagamento total de benefícios de R$467 bilhões, ou seja, um prejuízo de R$113 bilhões no período, e a tendência é que o prejuízo só aumente. Sendo repetitivo, mas a matemática é simples, essa conta não fecha.

Independente do governo em questão, essa conta precisa ser fechada em algum momento, e para fechar esse rombo, existem algumas alternativas e vou citar as três que mais foram comentadas: Aumentar impostos, cortar benefícios ou alterar regras da aposentadoria.

A primeira opção é impraticável tendo em vista a alta carga tributária que já incide sobre o trabalhador.

A segunda opção, muito conhecida após ocorrido na Grécia, é bastante complicada tendo em vista que precisaria abater benefícios já concedidos.

A última opção, entre as apresentadas seria a mais prática e menos custosa. Mas por se tratar de uma medida nada popular, acaba sendo postergada pelos governantes como uma brincadeira de “batata quente”, onde hoje chegamos numa situação critica e insustentável.

Alterar a idade mínima para 65 anos parece ser a mudança que será proposta nesse momento, inclusive por já ser uma idade mínima aplicada em vários países, principalmente na Europa.

O ERRO É PENSAR NA APOSENTADORIA SOMENTE QUANDO CHEGA NA HORA DE SE APOSENTAR.

A melhor forma de ter um futuro melhor, é cria-lo. E a melhor forma de não depender de uma previdência pública é se planejando da maneira correta.

São inúmeras as opções de investimentos para longo prazo que podem contribuir para renda complementar.

O mais importante é começar a pensar hoje de que forma você pode planejar sua aposentadoria. Quanto antes iniciar, mais barato vai ficar.

Se você quer saber uma forma de garantir o seu futuro sem fortes preocupações, clicando na figura abaixo você irá fazer DOWNLOAD do infográfico que contém CINCO OPÇÕES PARA VOCÊ GARANTIR SUA APOSENTADORIA SEM DEPENDER DO INSS.

Forte abraço!

Sobre o Autor

Marcelo Henrique administrator

Deixe uma resposta